Professor de Sociologia

Educação Escolar e Social

Apresentação

leitura

Tendo como eixo a Sociologia e as Ciências Sociais, este blog é um repositório de materiais de pesquisa, apontamentos teóricos e recursos educacionais que disponibilizo publicamente.

O blog divide-se em dois interesses principais: Educação Escolar e Educação Social. A primeira parte refere-se ao ensino de Sociologia na educação regular, a segunda parte refere-se à educação social na área da Assistência Social. Algumas postagens foram selecionadas por concentrarem discussões espalhadas pelo blog, e podem ser acessadas pelo menu à direita.

CC-By

Todo o conteúdo está licenciado de forma a permitir sua livre utilização, alteração e redistribuição, condicionadas à explicitação da fonte. Em outras palavras: utilizou algo do blog, cite-o como a fonte.

Dicas para um professor que usa o computador (3)

Esta é a parte 3 da série.

LibreOffice, um pacote de escritório completo e gratuito

Não é preciso pagar mais de $250 pelo Microsoft Office, se você pode ter um bom editor de texto, de planilhas e apresentações gratuitamente como é o LibreOffice. Para os leigos, dois são os obstáculos para essa mudança: diferenças na interface e nos formatos de arquivos. No primeiro caso, é lógico que aplicativos diferentes terão interfaces diferentes. É questão de aprendizado e preguiça de aprender. Ser professor significa adotar um e não outro, já que o resultado compensa.

Quanto ao segundo caso, complica-se um pouco. Muita gente usa o formato .DOC/.DOCX/.XLS/.XLSX, e o LibreOffice às vezes tropeça e não lê direito o conteúdo. Explicando rapidamente (já fiz mais detalhadamente neste projeto): o usuário não vê, mas um arquivo texto, por exemplo, é construído com códigos que permitam sua formatação. Assim, não há só texto lá dentro, mas comandos de negrito, itálico e por aí vai. Pense: uma empresa lança um aplicativo, vende-o, e não vai te contar como ele monta o arquivo que tal aplicativo utiliza. Se contar, você vai e cria outro aplicativo que leia tal tipo de arquivo, criando uma concorrente.

A comunidade do software livre trabalha então no sentido de descobrir como “ler” os arquivos. Mas aqui proponho que utilizemos formatos abertos, que não necessitem de softwares pagos. Um grupo de professores pode se reunir e adotar tal formato, utilizando os formatos fechados quando necessário. É uma questão de tomada de atitude e agir. Um texto um pouco mais pesado sobre formatos está aqui.

Você pode baixar o LibreOffice aqui. Existem alguns documentos em português no próprio site do aplicativo.

Diferentes temas para uma imersão criativa

Concentrando-se no texto, e não no editor: FocusWriter

Para quem fica horas digitando, como eu, mais uma dica: o FocusWriter é um editor que só apresenta o texto, em cima de um papel de parede suave. Além disso, esconde qualquer menu ou botão, e você pode colocar o som do teclado como as antigas máquinas de escrever. A ideia é deixar o usuário totalmente focado na atividade de escrever, isolando-o de outras influências. A proposta é de imersão total nas ideias. Vale a pena testar. O aplicativo salva os arquivos em um formato aberto, que pode ser aberto pelo LibreOffice (como dito aí em cima).

Navegação de Posts